Acessando PostgreSQL Containerizado

      Nenhum comentário em Acessando PostgreSQL Containerizado

O uso do Docker e seus containers facilitou muito a vida, não só dos sysadmins, como do desenvolvedores de um modo geral.

Entretanto, esses dias precisei acessar o SGBD PostgreSQL que roda em um container Docker e tive, por pura inesperiência e falta de conhecimento até então, um pouco de dificuldade.

Bom tudo é difícil e complicado enquanto não se sabe como se fazer, e acessar o PostreSQL não é um bicho de sete cabeças, só saber o caminho das pedras. Conhecimento esse que deixo aqui registrado até para quando eu precisar novamente eu tenha fácil acesso. O procedimento é:

Primeiramente, como o container ativo, o que podemos saber com o seguinte comando:

docker container ps

Cujo resultado é algo semelhante ao seguinte:

CONTAINER ID        IMAGE               COMMAND                  CREATED             STATUS              PORTS                    NAMES

56fa1b0f91d7        ba5ab22916de        "docker-entrypoint.s…"   24 hours ago        Up 5 minutes        0.0.0.0:5442->5432/tcp   meu_database

Com o container ok como o listado acima, basta executar o seguinte código:

docker exec -it meu_database bash

No qual, claro, o meu_database pode ser o nome do container ou seu ID como mostrado na lista de containers.

Feito isso, teremos o prompt do bash no container, como no exemplo abaixa:

[email protected]:/#

Veja que é o usuáro root na máquina cujo número é o ID do container. Agora é só executar o seguinte comando:

psql -U postgres

E pronto, já estamos no SGBD PostgreSQL e poderemos criar usuários, bancos, tabelas o que for necessário para o nosso trabalho. Essa fato é corroborado pela mudança do prompt acima para:

postgres=#

É isso! Espero que esse pequeno tutorial ajude mais alguém, assim como essas informações me ajudaram.

About Prof. Vicente E. R. Marçal

Um pesquisador apaixonado por tecnologia, programação e filosofia. Descobri o Python enquanto buscava soluções para os meus problemas do dia a dia e com ele, entendi que posso ajudar outras pessoas também. Foi assim, desafiando-me a cada dia, que comecei a contribuir com projetos open source e acabei me tornando um aficionado em usar o que aprendo para automatizar as tarefas maçantes do cotidiano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.