Programar é Re-Programar

      Nenhum comentário em Programar é Re-Programar

Eu, dentre as várias listas de e-mail que faço parte, gosto bastante da lista do Real Python, pois além de receber pequenas dicas de como melhorar o código no dia-a-dia, sempre tem textos que instigam a nossa vida como pessoas e como programadores.

Recentemente recebi um desses e-mails que me chamou muito a atenção e, depois de tomar coragem e passar óleo de peróba na cara, enviei um e-mail ao Dan Bader solicitando a ele autorização para traduzir e publicar o conteúdo do e-mail dele aqui. Ele foi extremamente simpático e autorizou prontamente.

Demorei um pouco, mas aqui está a tradução do texto dele. Qualquer erro que tenha é exclusividade minha!!!

Programar é Re-programar

Eu terminei de ler “Sobre a escrita: A arte em memórias” de Stephen King.

É um ótimo livro em que ele compartilha alguns conselhos e histórias de escrita que adquiriu ao longo de sua carreira como autor de best-sellers.

Ele entra profundamente nos “bastidores” de seu processo de escrita, como sua agenda se parece, etc.

Tudo muito interessante. Eu recomendo o livro se você estiver interessado em escrever ou apenas quiser dar uma olhada um pouco diferente no cérebro de Stephen King por algumas horas.

Agora, por que estou lhe dizendo isso? Há um capítulo no livro onde ele diz, em essência, que:

“Toda escrita é re-escrita”

Isso realmente me impressionou.

E eu penso que se aplica diretamente ao que você e eu fazemos como programadores Python …

Aqui, deixe-me explicar:

Uma coisa importante que você precisa para realizar é que NUNCA há um primeiro rascunho “perfeito”:

Assim como escrever, a programação não é um processo linear. Mas, sim, um processo iterativo.

Você começa com um “pedaço de papel em branco” — se é um arquivo .py em branco ou algum código clichê extraído de um modelo existente.

Então vc pega seu primeiro rascunho … apenas coloque-o para fora:

Talvez não cumpra todos os requisitos ainda (geralmente não, pelo menos para mim).

Talvez o código que você escreveu pareça um pouco “feio”: não há formatação, as nomeações estão ruins, é muito complicada para o que ela faz.

Mas está ok!

Stephen King não escreve um romance em um único passo — e nem você necessita escrever o programa perfeito de uma só vez.

Porque agora você vai iterar sobre o que você tem até agora:

Você vai adicionar mais uma pequena funcionalidade. Fazer o código um pouco mais bonito. Brincar com algumas funções aqui e ali. Adicionar docstrings e comentários.

E você irá manter a iteração e fazer mudanças até seu programa estar pronto para enfrentar o dia.

Basicamente, “toda programação é uma re-programação”. Ou, como Kent Beck (o guru do Test Driven Development) diz:

“Faça funcionar, faça direito, faça-o executar rápido”

Isso é, de fato, um mantra para viver (para programar)!!!

Se você olhar de perto, encontrará essa idéia em todos os tipos de outros empreendimentos criativos (exceto, talvez, em competições de castelos de areia.)

Happy Pythoning!

— Dan Bader

About Prof. Vicente E. R. Marçal

Professor Adjunto do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Rondônia. Doutorando em Psicologia Social pelo Instituto de Psicologia da USP. Mestre em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista/Campus Marília. Especialista em Filosofia Moderna e Contemporânea: Aspectos Éticos e Jurídicos pela Universidade Estadual de Londrina. Licenciado em Filosofia pela Universidade Estadual de Londrina. Coordenador do GEPEGRA - Grupo de Estudos e Pesquisa em Epistemologia Genética da Região Amazônica. Com experiência em Filosofia, com ênfase em Epistemologia e Teoria do Conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.